O fantástico mundo das Cookies

As cookies voltaram a me envolver essa semana, e dessa vez não apenas como degustadora. Minha amiga Marlene me chamou até sua casa para me apresentar o mundo encantado das suas Wonder Cookies! Ela me fez colocar as mãos na massa, literalmente, mas no fim da história, achei bem mais legal brincar de desenhar nelas, e depois comer, do que verdadeiramente fazê-las. Mas eu explico: é muito trabalhoso. Logicamente, é um aprendizado e tanto. E ver aquele mundo de possibilidades bem na minha frente é uma alegria e tanto. Mas preciso ser sincera e dizer que eu não levo muito jeito pra isso.

Imagem

O gosto tá ótimo, porque foi a Marlene que me orientou. Mas, que tal a minha arte?

Se você leva, aproveita, porque eu conheço um mundo de gente apaixonado por cookies de todos os tipos, de canela, de chocolate, de menta, de gengibre, de limão… E em todas elas podemos acrescentar ou trocar itens da receita por itens saudáveis como açúcar orgânico ou mascavo, farinha de banana verde, aveia, linhaça, nozes, amêndoas. Como eu disse acima, um mundo de possibilidades.

Como eu mais me diverti ontem do que realmente quis me profissionalizar no assunto, acabei não decorando a receita. Porém, eu quero aqui propor umas mudanças na receita original. Que tal criarmos algumas possibilidades? Você poderia tentar aí e me dizer o que achou? Eu farei o mesmo aqui em casa e aí comento como ficou.

Imagem

Sonho realizado. Fiz um boneco de Natal grandão! tipo, maior de 15 cm!

 Vamos lá:

Ligue o forno e deixe-o aquecer!

 Enquanto isso, bater bem na batedeira:

125 g de manteiga sem sal em temperatura ambiente (será que rola light? E margarina? Alguém pode nos acudir???)

½ xícara de açúcar mascavo ou orgânico (será que vai adoçar mais do que o açúcar normal? Bom, tem que tentar… a receita dizia ¾ de açúcar normal…)

2 col. (sobremesa) de canela (eu que inventei, pode tirar se quiser)

1 col. (chá) de essência de baunilha

 Depois de homogênea, acrescentar 1 ovo caipira e tornar a bater bem.

 Na mão ou na batedeira planetária, coloque devagar 3/4 xícara de farinha de trigo + ½ xícara de farinha de trigo integral + ½ xícara de farinha de banana verde e salpique nozes moídas. Por último, adicionar 1 colher (chá) de fermento em pó.

Deixar a massa bem homogênea.

Feito isso, você pode colocar um pouco na geladeira, para ficar firminha e cortar com cortador OU fazer suas bolinhas, rolinhos, e o que mais quiser antes de assar. Pode assar no forno pré-aquecido por +/- 20 minutos, em +/- 200 graus. Tudo aqui é +/- porque vai depender do quão poderoso é o seu forno. Aqui em casa eu deixo a luz acesa de dentro do forno e grudo nele. Afinal, cada caso é um caso, né?!

 Segundo minha amiga, a gênia das cookies, o jeito de abrir a massa é o que define como ficará a sua bolacha. Se deixar a massa muito fina, a chance dela quebrar é enorme. Se ficar muito grossa, ficará mais macia do que crocante… Então, só fazendo pra descobrir o seu gosto. Eu, por ora, continuo pedindo pra minha amiga, que além de fazer bolachas deliciosas, personaliza do jeitinho que a gente quer, com chocolate, pasta americana, glacê real, e com infinidade de cores. Pede também! 

Imagem

Cookies feitas e decoradas pela minha amiga Marlene. Não é uma fofurice??

Anúncios

My first cake, all by myself

Conhecida por meu gosto em comer bem, nunca fui referência em saber cozinhar com destreza. Até ontem. Porque hoje minha vida mudou. E a causa dessa mudança é a própria que vos escreve. Chega de depender dos outros para comer o que eu quero comer, e mais, chega de terceirizar praqueles com jeito pra coisa, algo que eu também posso fazer. Foi após esse basta que fiz meu primeiro bolo todinho por mim mesma – inclusive a receita!

Estou numa fase – com fé em Deus duração ilimitada – de comer bem, comida de verdade, ser saudável pra ser feliz, sabe? Nessa, e após visita animada a nutricionista, passei e por a mão na massa e fazer os alimentos que tenho vontade de comer. Depois de minha febre pela biomassa de banana verde, não facilmente encontrada, me rendi à farinha de banana verde, essa sim encontrada em qualquer loja de produto natural. E com ela, resolvi ser feliz. Eu amo “bakeds” em geral, por tanto resolvi parar com as tentativas de excluí-los de minha vida. Acho mais pertinente, e de mais fácil sucesso, transformá-los em alimentos funcionais e não tão danosos assim e então ser feliz com eles!

E foi o que fiz. Hoje acordei com uma vontade danada (de mandar flores ao delegado) de bolo de banana com nozes e para tanto, busquei alguma receita orientadora na internet. A informação sobre como usar a farinha de banana verde eu já tinha recebido com a nutricionista e, portanto só me restava a experiência. A receita dizia para eu colocar três bananas, três ovos, canela a gosto, ¾ de óleo, 2 xícaras de açúcar no liquidificador, bater bem, e depois, num recipiente colocar a pasta e acrescentar uma banana picadinha, nozes picadinha, 2 xícaras de trigo peneiradas e por último o fermento em pó. Com a massa homogênea, colocar tudo na assadeira e 40 minutos depois, BINGO! Mas não foi o que eu fiz…

Imagem

Meu bolo lindo, apesar de não tão belo assim, saído do forno!

E eu só vou contar aqui tudo que fiz, porque deu muito certo! O bolo ficou macio, úmido, doce na medida, saboroso, bem assadinho, de provocar calor até aos corações mais gelados. Até mammys que não é fã de bolo precisou se afastar dele para não acabar com a assadeira todinha na hora do almoço. Pois tome nota, porque a receita agora vai pra valer!!

– No liquidificador, coloque os ingrediente abaixo e bata bem, até ficar homogêneo:

3 bananas (picadas, ta!),

3 ovos (inteiros, de preferência caipira),

 ½ xícara (chá) de óleo de Canola,

1/3 xícara (chá) de açúcar light (Não é adoçante, ta?)

Canela a gosto – no meu gosto, umas 3 colheres de sopa!

Feito isso, coloquei tudo num recipiente e acrescentei nessa ordem e lentamente:

– 1 xícara (chá) de trigo branca, peneirada

– ½ xícara (chá) de trigo integral, peneirada

– ½ xícara (chá) de farinha de banana verde, advinha? Peneirada…

– 1 colher (sopa) de fermento em pó.

Depois de tudo muito bem misturado, coloquei na minha linda assadeira redondinha com teflon e coloquei no forno, pré-aquecido, para assar por exatos 36 minutos, em 200 graus (Celsius). Ficou lindo, cheiroso, gostoso, e provocou um aroma tremendamente bom para a cozinha. Quando tirei do forno, bem quentinho, polvilhei açúcar e canela, com muito mais canela do que açúcar e pronto. Lá estava ele, pronto para ser devorado no chá da tarde da Casa da Dinha! Vale dizer que as visitas adoraram… e quem provou, aprovou com louvor! Vem você também tomar chá na Casa da Dinha. Prometo um bolo bem delicioso e funcional pra você também!! 

Imagem

Devoramento de Bolo, AVANTE! Delícia de Banana e Nozes, com Farinha de Banana Verde e Trigo Integral. Aunnnnn….