Paixão por aromas!

Tô doente! A paixão por aromas e lembranças que marcam, só cresce! E esse negócio de procurar cheirinhos que tenham tudo a ver com cada pessoa que deseja ser lembrada, tá virando obsessão! Medo! Paixão! Saudade! Vontade! Novidade!

E eu não páro! Agora criei o Casa Viva! É um aroma delícia, cítrico como o verão, mas adocicado “como a vida deve ser”. Ataquei de alquimista e deu certo. misturei essências que “julguei” combinarem, e… tchanam! Deu muito certo!

O Casa Viva ganhou esse nome pelo poder estimulante que tem. Ele é capaz de deixar as pessoas acesas, vivaz e há quem diga até mais “saidinhas”. Por conter gengibre (já comecei a entregar os meus super ingredientes…), há quem diga que ele tem poderes afrodisíacos. Gostou? Amou? Gamou? Pede o seu e faz o teste. Promete-se dias de muito amor e vida daqui em diante!

Imagem

Imagem

Casa Viva está disponível nos difusores violino de 70ml e no tinteiro de 180ml. E também no spray de 60, 120 e 220ml.

 

Anúncios

A graça do making of

A parte mais divertida de fazer festas é receber os testes! Aí você fica super amiga de quem sabe fazer e ela passa a te dar até teste dos outros. Não é o máximo? Tão legal que ontem a balança até me penalizou pelos exageros. Eu tentei explicar que era SÓ teste e que portanto não podia causar tanto estrago. Mas ela me ignorou e me mandou voltar pra linha!

ImagemOlha que coisa mais linda, a Marlene Matsuo (de Salto/SP) me agraciou com brigadeiros gourmet de cenoura e beterraba! Aí você pensa: eca! legumes! Mas se engana. É bem gostoso e colabora com a nutrição da garotada. Que tal utilizá-los na próxima festinha dos seus filhos?? (ou pode ser na sua também…)

Imagem

Imagem

 

Além dos brigadeiros gourmet leguminosos, ela resolveu fazer graça e trouxe ainda brigadeiro belga ao leite de colher. Pra que, né? Só pra eu pedir perdão pela gula. Só pode! Delícia. Morri mil vezes! 

 

 

Se já não bastasse essa explosão de doçura em forma de brigadeiros, ela trouxe mini bolinhos, do tipo dos quais falamos ontem, sabe? Recheadinho de brigadeiro belga ao leite!

Imagem

Olha que conjunto mais lindo:

Imagem

Ah, você viu umas ovelhas perdidas na foto de cima, né? E notou que não falei delas. Ah… então, é que ainda não é hora. Estou desenvolvendo umas lembranças de maternidade para um casal amigo mega querido, e elas foram testes dessa lembrança. Assim que tivermos tudo pronto, e o baby der o ar da graça, posto tudo pra vocês. Aiiii…. quanto amor. Por isso amo fazer festa e criar lembranças!!

Mini Bolo de andares é o luxo em forma de doce!

Tenho visto muitos sites sobre casamentos falarem em mini bolos como lembranças de casamento. Eu já os conheço há muitos anos, mas sempre achei algo muito grande para ser entregue como “lembrancinha”. Até porque costumavam ser cobertos em pasta americana e tals e eu não sou muito chegada nesse material. Mas aí, o tempo passou e eu conheci os mini bolos de chocolate! São bolinhos de 3 andares, lindos maravilhosos, feitos em chocolate e recheadinho com o seu doce favorito. Dia vai, dia vem, descobri que esse mesmo mini bolo de chocolate com 3 andares, pode ser mini, pequeno, médio e grande! Sendo o grande algo de uns 10 cm de altura… nada realmente big! E é assim… o mini pode ser usado como doce de festa ou em caixinhas, como lembrancinhas. E pode rechear com brigadeiro, beijinho, trufa, brigadeiro gourmet do seu sabor preferido e etc. E ainda pode ser decorado com o tema da festa. A partir do pequeno (médio e grande), é recheado com bolo também, e pode ser o sabor que você, ou seus queridos, mais gosta. E fica divino.

Aí, como aqui em casa ninguém e bobo nem nada, resolvemos fazer esses bolinhos de lembrancinha da festa da firma e do casório da minha irmã. Mas veja bem, cada tamanho é aplicado de uma forma, até porque o valor deles também cresce de acordo com o tamanho e decoração. Olha que coisa mais cute-cute que fizemos:

Imagem

Mini Bolo de andar Personalizado para festa de 25 anos de empresa. Tamanho médio.

Imagem

Mini bolo grande e pequeno, para ser usado em festa de casamento como lembrança. Recheado com bolo bem casado.

Imagem

Mini Bolo tamanho grande, feito para presentear padrinhos de casamento.

Imagem

Imagem

Modelo de mini bolo tamanho grande, para ser personalizado de acordo com a festa.

Imagem

Mini bolo docinho de festa, que também é personalizado de acordo com o momento.

Imagem

Outra opção de mini bolo feito para ser docinho de festa.

Imagem

Que amor essa decoração de mini bolo docinho!!

Receber bem é arte, festejar faz parte!

A Casa da Dinha sempre recebeu muito bem todos que por ela passassem. E até hoje essa arte é lembrada e propagada. Como descendente da Casa, sinto-me no dever de seguir seus preceitos e, sendo possível, aprimorá-los. Por isso hoje resolvi falar aqui sobre essa arte, a qual cabe em todo e qualquer lugar e consiste, principalmente, em conhecer bem o seu público – amigos, familiares, visitas, e quem mais que venha até você. Devemos ter sempre em mente que, se uma pessoa saiu de seu ambiente de conforto para ir até você, por todo e qualquer motivo, ela precisa no mínimo ser bem recebida e sentir importante por lá estar. Portanto, prepare o bom humor, a alegria, a gentileza, a educação e principalmente o coração para acolher bem quem chega. Lembre-se, por melhor e mais organizada esteja a sua casa ou recepção, se faltar um dos ingredientes acima, o seu reinado desmoronará. Portanto, prepare a alma e o coração para esse momento tão especial.

Imagem

Receber bem é isso! Carinho e cuidado em cada detalhe, até mesmo num picnic no parque. (Foto tirada da internet)

Além de estar psicologicamente preparado, lembre-se da casa ou ambiente a ser usado para essa recepção. Pode ser um amigo vindo de longe ou uma festa para muitas pessoas. Conhecer seus gostos, costumes e necessidades ajudam muito na hora de preparar o ambiente. Cuidados especiais com a limpeza do local, cheiros e decoração podem evitar enormes contratempos. A poluição dos grandes centros tem intensificado as alergias e um lugar mal limpo pode ocasionar crises profundas em quem sofre de renite, bronquite, asma, entre outras. Produtos de limpeza com cheiro forte, essências e incensos podem também atrapalhar a permanência de pessoas no ambiente. Portanto, pegue leve e lembre sempre: cheirinho de limpeza não é perfume! Nada substitui uma limpeza bem feita, com produtos neutros e muito esforço.

Imagem

Casa bem limpinha, sempre, com cheirinho de limpeza e não perfume!

Tenha cuidado em quantas pessoas você convidará para uma mesma ocasião tanto pelo ambiente da recepção quanto por sua atenção para com eles. Tenha em mente a importância em oferecer conforto a cada uma delas, com direito a assento e um lugar a mesa, além de utensílios bem limpos e em abundância. Caso tenha espaço, mas não tenha mobília e utensílios, alugue. Fazer rodízio, além de feio e desconfortável, vai dar um trabalhão pra você! Tenha atenção também em quem são as pessoas convidadas e o que elas podem ter em comum. O ideal é que possam interagir sem a necessidade da sua presença. Em contrapartida, tenha a certeza de poder estar disponível a todos eles, sem preferir ou preterir nenhum deles. Mais uma vez, lembre-se: eles estão lá por você! E portanto, seja anfitrião!

Imagem

Se não tiver utensílios suficiente, alugue. Fazer rodízio, jamais!

As comidas e bebidas a serem servidas demandam atenção dobrada. Verifique se algum convidado tem alergia a algum alimento ou ainda, costumes desconhecidos. Ter um jantar com carne vermelha como única opção pode ser um fiasco se o convidado for vegetariano. Ou ainda, ter apenas frutos do mar pode levar sua recepção ao hospital, se o seu convidado for alérgico. Portanto, por mais que se conheça o convidado, pergunte antes. Ele pode ser apaixonado por frituras e massas em geral, porém estar num tratamento para reeducação alimentar, e a sua recepção deixá-lo numa saia justa. O mesmo vale caso tenha amigos em tratamento alcoólico. Se isso ocorrer, prefira não servir bebidas com álcool. Além de constrangedor a ele, a tentação será sempre um pecado capital. Por isso a importância em avaliar MUITO BEM cada um de seus queridos convidados. O objetivo de sua recepção deve ser sempre fazê-lo sentir-se feliz e confortável junto a você.

Imagem

Café da manhã é sempre ótima opção para receber amigos em casa. Simples, mas com charme, sempre.

Para recepções maiores e mais complexas como casamentos ou demais comemorações, você não poderá privar todos os seus convidados de algo em detrimento a um único. Neste caso, tenha opções. Além da carne vermelha, tenha uma opção de carne branca, opções de vegetais e massa sem proteína animal. Além de bebidas alcoólicas, tenha coquetéis sem álcool, lembrando sempre do suco da garotada ou da água saborizada, tão comum no sul do país e que tem ganhado seu espaço em todo tipo de recepção por aqui. O mesmo vale para recepções em casa, quando o público for heterogêneo. Se valer a dica, procure sempre opções saudáveis em suas escolhas. Hoje em dia todo mundo tá de olho na alimentação, afinal “a cura começa pela boca”. Portanto, pratos bem feitos, sem frituras, com vegetais, proteínas e carboidratos equilibrados são sempre boas pedidas e agradam todos os públicos.

Imagem

Opção de prato saudável para sua recepção. tomatinho, mussarela de búfala, manjericão e eu ainda acrescentaria um molhinho pesto!

Espero ter ajudado você a receber bem os seus convidados, porque fazer festa é uma farra, dá trabalho mas alimenta a alma. Quem nasceu para isso, como eu, tem um prazer enorme em receber e presentear pessoas queridas. E aí, vale a criatividade de cada um. Deixe os seus encantos tomarem forma seja de decoração, de comidas e bebidas ou mesmo de lembranças. Aliás, sendo possível, sempre separe algo para seus convidados levarem com eles, como lembrança da festa. Seja uma caixinha para doces ou algum doce especial, ou ainda um utensílio de uso em casa. Deixe a criatividade fluir, mas pense nisso, porque todo mundo gosta de ser presenteado, e lembranças deixam sempre um gostinho de quero mais no dia seguinte.

Imagem

Caixinha para doces, com tema da recepção, para os convidados levarem pra casa os doces que mais gostarem…

A Dinha

Achei justo iniciar os posts do blog falando sobre a pessoa que me inspirou o nome dele. Convivi com a Dinha 23 anos da minha vida, achando super legal o fato de ter uma bisavó! Minha mãe e minha avó foram as primeiras neta e filha que ela teve, razão talvez pela qual foi bisa relativamente jovem, aos 65 anos. Minha irmã mais velha conviveu mais profundamente com ela e guarda lembranças muito mais marcantes do que eu como, por exemplo, as comidinhas que ela fazia e o café pronto quando chegava da escola. Eu, por outro lado, vivi uma fase que minha avó não trabalhava mais e, portanto, fui cuidada por ela enquanto minha mãe e meu pai batalhavam por nós.

Da Dinha eu gostava de ouvir histórias. Apesar de ser uma pessoa bem reservada e de pouca fala, costumava me contar sobre o mundo na sua adolescência e fase adulta. As imigrações em nossa região, as guerras mundiais e as transformações políticas. Dela, ouvi histórias sobre pessoas importantes da cidade e descobri que era filha do primeiro e único dentista que existia em Salto na época. Com ela me preparei para encenar uma senhorinha num teatro da escola e nela me inspirei para desenvolver o papel.

Sobre ela soube por minha mãe e irmãos da minha avó. Sua fama sempre foi de “doceira de mão cheia” na cidade. Era conhecida por fazer os melhores doces de casamento da época. Delicadeza e experiência que passou para algumas filhas depois. Vaidosa, sempre gostou de se arrumar e se perfumar para sair. Lembro-me de uma procissão que ela fez questão de se enganchar (como as senhoras gostam de fazer!) em mim e minha irmã, pois queria estar perto de pessoas jovens.

Lembro-me de seu sorriso toda vez que chegávamos feito furacão em sua casa, de sua voz calma e baixa, seu andar tranqüilo e o cuidado com a alimentação, devido à diabetes sempre muito bem controlada. Lembro-me também de sua casa como ponto de encontro de todo fim de semana, ponto de união de toda a família, já tão ramificada e dispersa. Lembro-me de seu cuidado com o dinheiro, sempre guardado na primeira gaveta da cômoda, embaixo de todas as roupas, na sala. De sua tevê em branco e preto, de seu sofá bicama, de seu gigante banheiro e de seu fogãozinho. Lembro-me de seus armários de cozinha e sua geladeira, que tantas vezes eu tentei achar alguma guloseima, na desculpa de só pegar água! Lembro de tudo como se fosse hoje e vivo a doce lembrança de ter vivido uma infância e adolescência próxima a uma grande mulher, mesmo tão pequenina.